1 de ago de 2011

Resenha - Julieta

Julieta
Anne Fortier,
Editora Arqueiro


Sinopse: Julie Jacobs e sua irmã gêmea, Janice, nasceram em Siena, na Itália, mas desde os 3 anos foram criadas nos Estados Unidos por sua tia-avó Rose, que as adotou depois de seus pais morrerem num acidente de carro. Passados mais de 20 anos, a morte de Rose transforma completamente a vida de Julie. Enquanto sua irmã herda a casa da tia, para ela restam apenas uma carta e uma revelação surpreendente: seu verdadeiro nome é Giulietta Tolomei. A carta diz que sua mãe havia descoberto um tesouro familiar, muito antigo e misterioso. Mesmo acreditando que sua busca será infrutífera, Julie parte para Siena. Seus temores se confirmam ao ver que tudo o que sua mãe deixou foram papéis velhos – um caderno com diversos esboços de uma única escultura, uma antiga edição de Romeu e Julieta e o velho diário de um famoso pintor italiano, Maestro Ambrogio. Mas logo ela descobre que a caça ao tesouro está apenas começando. O diário conta uma história trágica: há mais de 600 anos, dois jovens amantes, Giulietta Tolomei e Romeo Marescotti, morreram vítimas do ódio irreconciliável entre os Tolomei e os Salimbeni. Desde então, uma terrível maldição persegue essas duas famílias. E, levando-se em conta a linhagem e o nome de batismo de Julie, ela provavelmente é a próxima vítima. Tentando quebrar a maldição, ela começa a explorar a cidade e a se relacionar com os sienenses. À medida que se aproxima da verdade, sua vida corre cada vez mais perigo. Instigante, repleto de romance, suspense e reviravoltas, Julieta – livro de estreia de Anne Fortier – nos leva a uma deliciosa viagem a duas Sienas: a de 1340 e a de hoje. É a história de uma lenda de mais de 600 anos que atravessou os séculos e foi imortalizada por Shakespeare. Mas é também a história de uma mulher moderna, que descobre suas origens, sua identidade e um sentimento devastador e completamente novo para ela: o amor.


------------------------------------------------------------------------------

Julie Jacobs morava com sua tia Rose, o empregado da casa, Umberto e sua irmã Janice. Ao contrário de Janice que era preocupada apenas com homens, moda e dinheiro, ela não estava nem aí para tudo isso e era meio vulnerável as provocações de sua irmã por sempre querer fazer o oposto do que Janice dizia que era certo.
Até que Rose morre, aparentemente durante o sono e as duas recebem uma carta das mãos de Umberto, dizendo que Janice havia herdado toda a fortuna de Rose, e Julie apenas uma chave que pertencia a sua falecida mãe, Diana, e orientações de onde usá-la, e esse onde é em Siena, na Itália, lugar de onde ela e sua irmã tinham nascido. Além disso, Rose revela nessa carta que o verdadeiro nome de Julie Jacobs é Giulietta Tolomei e o de sua irmã é Gianozza Tolomei. O resto está por conta de Giulietta / Julie descobrir.
Diana, a mãe de Giulietta dedicou sua vida para estudar o passado da família Tolomei. Acreditava que essa família descendia da primeira Giulietta, a que deu origem a história de Shakespeare, e que houve mesmo o trágico fim a Giulietta e Romeo. Além disso, dizia que havia uma antiga maldição sobre as velhas inimigas que moravam em Siena: os Tolomei e os Salimbeni.
Não sei o que falar desse livro. Se precisasse defini-lo em apenas uma palavra seria surpreendente. Quando li a sinopse e vi que tem muitas reviravoltas, mas não imaginava tantas. Em uma página você tem certeza absoluta de que foi tal personagem que fez tal coisa, mas na seguinte sua teoria cai por terra. E talvez por isso no início a leitura não fluiu bem, mas depois da página 100 largava o livro para ir dormir com um peso no coração e olheiras às 3 da manhã.
A história é divida em duas partes. Uma no presente, e a outra no século XIV. Tudo giram em torno da história de Giulietta Tolomei e Romeo Marescotti, a do passado e do presente.
Tudo que acontece no século XIV tem uma consequência, por vezes desastrosa, no presente.
O que eu adorei no livro é que todos os personagens tem um parente, mesmo que distante, que os ligam. A árvore genealógica das famílias Tolomei, Salimbeni e Marescotti é bastante complexa.
O Romeo é simplesmente apaixonante, a Janice / Gianozza é bem chata, a Julie / Giulietta é fofinha *_*.
Me apaixonei por esse livro. O tamanho assusta um pouco, mas a história é super, mega, hiper bem contada. Anne Fortier escreve muito bem, a forma descritiva faz você se sentir Julie (o livro é narrado pela perspectiva dela). Nas partes do diário do Maestro Ambrogio eu praticamente queria ir para Siena.
Não tem como comprar um Romeo desse para mim, não? Ele é muito perfeito, maravilhoso, apaixonante. *Suspiro*
Nota: 

Achei algumas outras capas para esse livro, e descobri que aqui no Brasil, foi publicado por outra editora também:


As minhas preferidas são: a número 1 e a número 2.

3 comentários:

  1. Nossa amei a história!!!!!!!!!
    Pensei que fosse um tipo de continuação da Julieta verdadeira...kkkk olha a minha viagem!!!!!!!!
    Sobre as capas eu gostei da 1, 2 e 3!!!!!

    bjus

    ResponderExcluir
  2. Parece ser um livro excelente mesmo! Minha amiga comprou há alguns dias e está adorando também! Já pedi a ela que me emprestasse, e acho que vou amar também *-*

    A capa, nem se fala, é linda!!!
    Dentre todas as capas que você postou, acho a da Arqueiro a mais bonita =D

    Ótima resenha
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  3. Nossa, que resenha ótima *-* O livro parece excelente!!!
    Adorei a dica =)
    Agora estou louca para conhecer a história!

    ResponderExcluir