29 de mai de 2012

Resenha - O Sonho de Eva

O Sonho de Eva
Chico Anes
Editora Novo Conceito

Sinopse: Dra. Eva Abelar, autoridade mundial em sonhos lúcidos, é informada de que seu filho, Joachim, uma criança autista, desaparece na mesma noite em que sua irmã, Anna, pula do 20º andar de um edifício em São Paulo. Anna era a principal cientista do projeto DreamGame, invento revolucionário que permite à pessoa jogar enquanto dorme. Eva é convidada por Yume a assumir o lugar da irmã e, à procura de respostas, se envolve em uma trama perigosa, que alcança os limites dos desejos inconscientes do homem. Enquanto usa seus conhecimentos para desvendar a morte de Anna e reencontrar Joachim, Eva descobre o quanto a sociedade está vulnerável à tecnologia e aos estímulos subliminares, e como esses estímulos podem sequestrar a liberdade e extinguir o livre-arbítrio.

------------------------------------------------------------------

Em uma palavra? Surpreendente.
A primeira coisa que me chamou atenção em O Sonho de Eva foi essa capa linda, linda, linda. Ao vivo ela é ainda mais bonita. Com verniz aplicado em alguns lugares dá vontade de ficar horas e horas passando a mão na capa.
Mas chega de divagar. Vamos ao que interessa.
A temática abordada pelo Chico Anes nesse livro é muito rara de se encontrar por aí. Só li dois livros com o tema sonhos. E por isso não é mais clichê entre tantos.
A irmã de Eva trabalhava para a impressa Yume, que estava desenvolvendo um jogo um tanto quanto revolucionário: o chamado DreamGame, onde o jogador literalmente participa do jogo enquanto sonha. Porém, em uma noite, Anna, se joga do 20° andar do prédio onde mora, e seu sobrinho Joachim, uma criança autista desaparece, deixando sua mãe a ponto de um ataque de nervos.
No velório de Anna, Eva recebe uma proposta: continuar a trabalho de sua irmã. Eva fica meio dividida entre trabalhar no emprego dos sonhos e procurar seu filho, mas no fim acaba decide-se e vai. A partir daí o livro realmente começa.
Ao longo do livro percebemos que há um mistério muito maior do que poderíamos imaginar ao começar a ler. E é impossível parar de ler. Fica aquela coisa: "Só mais uma página..." e você acaba lendo o livro todo.
Uma das coisas que mais me agradou no livro foi encontrar coisas do #meu cotidiano. E por que eu preciso destacar a palavra meu? Simples, são coisas que vem da minha cidade - buraco - Barbacena.
Para os que não sabem, o autor é meu conterrâneo - que lindo isso. Então, ele aproveita alguns "coisinhas", como o nosso famosos - só que não - Museu da Loucura. E acreditem em mim, o Museu não serve só de cenário. Dá até um medinho só de lembrar. XD
Talvez eu seja burra, ou só um pouquinho desatenta, mas só no final da leitura eu percebi o imenso trocadinho com o nome da personagem principal e um outro "personagem".
A leitura de O Sonho de Eva flui muito rapidamente. Quando percebi já estava acabando. E que final! Acho até que dava uma continuação... De qualquer forma, foi muito bem finalizado.
O personagem que mais gostei foi o Joachim. Apesar de não aparecer na maior parte do livro, tem um papel fundamental e é uma gracinha. Ele é autista, mas quando sonha, se comunica com sua mãe por uma espécie de código criado por Eva.

"Vejo as pálpebras semicerradas de Joachim se mexerem, ora para a direita, ora para a esquerda, seguindo o  código, montando letra a letra sua inaudível, mas retumbante resposta:
 - Tam-bém-amo-vo-cê-ma-mãe."
Página 304.

Também adorei o Guss. Apesar de ser um drogado na maior parte do tempo, ele é bem humorado e adora Alice no País das Maravilhas tanto quanto eu. Talvez o vício dele não seja no livro, mais sim no autor, se é que você me entende.

"Perseguia o coelho branco, que corria pelas fases do jogo:
Passou pela casa do chapeleiro tomando chá - ponto para o jogador que conseguir beber mais xícaras que o chapeleiro! Mas, cuidado! O chá é alucinógeno! Pode iludir, deixar o jogador preso para sempre no labirinto dos seus delírios. Guss tomou mais chá que o chapeleiro. Ponto para Guss!"
Página 241.

 O Sonho de Eva é realmente um livro muito bom. Com um pouco de suspense, romance e loucura talvez, prova que seus sonhos podem se tornar seus maiores pesadelos e a mais pura realidade.

Nota:
e meio. 

3 comentários:

  1. Realmente, esse livro é surpreendente. Posso dizer que ele superou todas as minhas expectativas, não sei se seria um exagero, mas achei a escrita do autor e a maneira que ele guia a obra parecido com o trabalho de Dan Brown... Achei o tema escolhido pelo autor muito interessante também, até pesquisei um pouco a respeito na internet. O personagem que eu mais gostei também foi o Joachim, logo depois a própria Eva.

    Abraços
    Caique Fortunato
    http://entrepaginasdelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. eu to suuuuper curiosa pra ler esse livro :) além de ser nacional e de ter recebido ótimas críticas, é justamente aquilo que vc disse: não é mais um clichê, pois tem pouquíssimos livros abordando o tema do livro. tenho certeza de que vou gostar - só não sei em que milênio vou conseguir ler hahahaha

    ResponderExcluir
  3. Oi flor! Li uma resenha sua no Skoob sobre o livro Senhor do Amanhã e adorei o seu jeito de escrever, então, resolvi conhecer o seu blog e confesso: surpreendi-me.
    Você escreve muito bem e as suas dicas são, no mínimo, interessantes.
    Parabéns e sucesso!

    diasperfeitosparasempre.blogspot.com

    ResponderExcluir