6 de fev de 2012

Resenha - O preço de uma lição

O preço de uma lição
Frederico Devito e Gutti Mendonça
Editora Novo Conceito

Sinopse: Os meninos são, sim, capazes de amar. ”Tem um ditado que diz que o amor é cego. É justamente o contrário. Quando você ama de verdade, é capaz de ver coisas que ninguém consegue. Falam que você não consegue enxergar os defeitos, pura mentira também! Você vê, estão todos lá. Mas vê também algo que só você pode, como lidar com eles e contorná-los. Então, o amor não é cego, ele é a maior lente de aumento que já inventaram.” Como acontece esta coisa chamada amor? Nasce junto com a gente, mas não depende só de nós. A gente sofre e faz sofrer, ama e é amado. E com isso aprende muita coisa. Lições que trazem consequências, problemas e soluções. O preço desse aprendizado transforma o garoto em um homem. Esta narrativa, cheia de incidentes, mostra que – ao contrário do que dizem algumas garotas – os meninos são, sim, capazes de amar. Quais as transformações que o amor pode provocar na gente? O que ele ensina? Qual o seu preço? Acompanhe a jornada de um jovem, transformado pelo amor, à procura dessas respostas.

------------------------------------------------------------

E se para aprender a lição você precisasse perder tudo que mais prezasse nesse mundo?
O que você faria? 
Se desesperaria? 
Tentaria se matar?
Correria atrás daquilo que perdeu?
Ou simplesmente tentaria esquecer tudo, deixando o passado no passado, e apenas tentaria sobreviver ao presente?
Essa é a decisão que o nosso personagem principal - sim, ele não tem nome - precisa tomar.
E para saber o que ele faz de sua vida e a quais as consequências de suas ações, leia O preço de uma lição - ou participe da promoção que vou lançar esse mês ainda.

------------------------------------------------------------

O que você espera do primeiro livro de um autor nacional?
E se esse autor nacional for um colírio da Capricho?
Pois é.
Não tenho nada contra um autor nacional. Quem acompanha o blog a mais tempo sabe que se eu pudesse adotava todos eles, mas já adotei uma e ela pode ficar com ciúme. :P 
Mas eu confesso que tive receio de ler esse livro, e não fui com muita sede ao pote.
E não me decepcionei. Até que é um bom livro.

Tudo começa com o primeiro encontro do "Quarteto 21". Eles são assim chamados pois nasceram no mesmo dia, - não necessariamente do mesmo mês - dia 21.
O nosso personagem principal, que por sinal não tem nome - isso está virando moda? - desafia seu colega de classe, nessa época ainda estavam no Ensino Fundamental I, a levar uma revista, aquele tipo de revista... Não preciso dizer que tipo de revista, certo?
O menino leva, mas os dois são descobertos por outras duas colegas de sala. Desde então nunca mais se separaram, ou quase isso.
O tempo passa, e nos deparamos com o protagonista já adulto, mais especificamente, 22 anos, contando tudo que aconteceu para que ele queira escrever um livro. Desde seus relacionamentos passados, até ao último.

Como o livro é contado em primeira pessoa e no passado, podemos realmente entrar na mente do personagem. Sentimos junto com ele sua angústia, seu amor, medo, enfim, todos os sentimentos que passam por sua cabeça. Desde pequeno até a fase adulta.
Nos é revelado, nos últimos capítulos, porque o personagem decidiu escrever um livro. Nessa parte os sentimentos estão mais presentes. 
Mas como também está virando moda, eu acho, deixar o personagem principal sem nome, isto está companhado de um final em aberto. Para que você imagine o que acontece com nosso personagem principal.
Ele pode ter conseguido alcançar seus objetivos ou não, o final está implícito, digamos assim. :)
A diagramação do livro é bem simples, mas na abertura de cada capítulo encontramos duas alianças, um dos "amuletos", se é que eu posso chamar assim, do narrador.


"Claro que nada vem de graça. Quanto mais valiosa a lição, mais alto o preço. Qual o preço de uma lição? Às vezes, se paga o preço ,ais alto, como eu, que paguei com o que tinha de mais valioso..."
Página 366.

Mas nem tudo são flores, não é verdade?
Eu achei esse livro, só um pouquinho repetitivo durante a leitura. Não quero dizer que a mesma coisa acontece um trilhão de vezes, mas às vezes o personagem principal tinha uma rotina pré-estabelecida, não os acontecimentos do meio do livro se repetem, justamente por isso.
Porem, depois tudo muda drasticamente, bem na hora em que você pensa: "Isso não acaba nunca?!"
Mas, o final justifica o que aconteceu no meio da história, então podemos relevar isso. :)

Nota: 

3 comentários:

  1. Eu gostei desse livro. Sei lá, não vou com a cara de nacionais mas esse até que não era um pórre de se ler. E os autores...santa Maria, tão bonitinhos *-* (pirei na batata agora >.< ) Mas o livro é meio exaustivo se você parar pra pensar e não é aquela coisa de "uuuaaaal!!! Não acredito nisso!!! Nossa amei o final!!!" mas tá valendo. =/

    ResponderExcluir
  2. oi Nathy!
    Ainda n li esse livro, minha irmã que leu e ela gostou mas não achou tãaao bom assim.
    tbm fiquei com receio de ler pelo fato de ser de um ex colírio o livro O_O Mas o Federico faz tanta coisa legal (curtas e textos) que n pode ser de tudo ruim.
    E minha irmã tbm reclamou da repetitividade xD
    bjs,
    tudo por um livro.

    ResponderExcluir
  3. Oi Nathy, ainda também não li esse livro mais lendo sua resenha tive um outra visão, porque até hoje só tinha ouvido críticas ruins e te confesso que pensei em não li.
    Mas como li sua resenha acabei mudando um pouco de ideia e pensando em dar um chance para o livro rs.
    Flor adorei seu blog ele é super lindo *-*

    Beijo
    http://marifriend.blogspot.com/
    @Storieandadvic

    ResponderExcluir