18 de mar de 2013

Resenha - Yume

Yume

Kamile Girão

Editora: Dracaena
Ano de Publicação: 2011
ISBN: 9788564469433
N° de páginas: 361
Comprar: -
Nota: ♥♥♥♥(4/5)
Desafio: Desafio Realmente Desafiante 2013 - Item 13: Ler um livro com a capa entre bege e marrom.

Sinopse:
Por detrás das roupas surradas masculinas que costumava vestir, um mundo incrivelmente estranho se escondia. Nadia sabia que sua cabeça não era comum e que suas ideias divergiam do que era normal. Apenas ela conseguia ver o que não existia. Apenas ela era capaz de desenhar com perfeição um personagem visto em um sonho.
Guitarrista, estudante, filho, cético, objeto sexual de quem o quisesse. Ainda assim, Adrien não era feliz. Contudo, a vida monótona e libertina parecera ganhar um sentido especial quando estranhos sonhos se projetaram em sua mente e quando a missão aparentemente inimaginável lhe fora imposta: impedir que uma determinada garota chegasse ao Yume, o local proibido para meros humanos. 

Antes de mais nada, vocês precisam concordar comigo que a capa de Yume é linda de morrer! Ao vivo é ainda mais bonita. <3 Além disso a diagramação é muito bem feita e a revisão está muito boa.

Quando Yume foi lançado, em agosto de 2011 a primeira coisa que me chamou atenção foi a capa. E logo após ler a sinopse, fiquei encantada com a promessa livro, afinal o tema sonhos é muito pouco abordado na literatura, tanto nacional, quanto internacional. O que é algo inovador, mas um passo no escuro, não? Não existem muitos livros com o tema, não se sabe como o livro será recebido no meio literário, se os leitores gostam ou não desse tema... Enfim, você pode tanto conseguir caminhar bem, quanto tropeçar no primeiro momento. E Yume enquadra-se na primeira hipótese, felizmente. :)

Mesmo sendo um livro jovem-adulto - ya - sobrenatural, não é só mais um dentre tantos outros. É único da sua própria maneira, conquistando, principalmente pelo mundo paralelo criado pela autora - o Yume. Um mundo onde sonhos se tornam realidade e monstros, vampiros, íncubos, súcubos e mais uma infinidade de seres habitam, dividindo lugar com alguns poucos humanos.

Além de personagens bem trabalhados e uma narrativa fluida, a história cativa. Nadia, a protagonista, é uma garota um tanto quanto perdida no mundo. Sonhadora e tanto quanto pirada, ela vê coisas inexistentes e conversa com seres inanimados, como bichinhos de pelúcia (O problema é que eles respondem. o.O). Sua mãe é brasileira, e depois de se casar com um alemão, se muda para a Alemanha em busca de uma vida ao seu lado. Mas ele acaba morrendo no meio da história do Muro de Berlim e as duas ficam sozinhas, morando em um barraquinho no meio da favela, almoçando em um dia sem saber se terão algo para comer no outro.

Nadia tenta ajudar a mãe como pode, fazendo desenhos para vender por alguns euros. Mas mesmo assim, a situação continua complicada, e quando já se está na pindaíba, sempre aparece mais um problema para deixar o pobre ainda mais pobre, o dono da casa onde ambas moram resolve despejá-las. A única opção é quebrar o cofrinho e juntar todas as moedinhas para voltarem para o Brasil. O problema - porque sempre aparece mais um problema - é que, mesmo depois de juntar todos os trocados, o dinheiro só dá para uma passagem de avião. Quem vai? Obviamente Nadia.

Sua única esperança era um desenho que lhe fora encomendado. O pedido era bem simples: desenhar alguém que Nadia houvesse visto em sonho. Ela consegue, e, como recompensa recebe 1000 euros. Um belo valor, não? Esse dinheiro será a salvação da pátria, mas como alegria de pobre dura pouco - ok, chega de piadas sem graça sobre pobres - o dinheiro magicamente some. É, some do nada. Tipo: "puf, it's gone. Não resta mais nada a não ser ir para o Brasil morar na casa do primo - gracinha - Yooki. E a partir daí a história se desenrola.

Do outro lado da moeda temos o cara - lindo e maravilhoso - que Nadia desenhou: Adrien Guerra. <3 Guitarrista da banda Reticências, ele é a razão dos delírios de muitas garotas, mas ele não está interessado em nada mais do que uns amassos. Do tipo beeeeeem galinha mesmo.

Chega a ser até meio irritante o modo como esse livro tem coincidências demais. Adrien e Nadia se cruzam - ou quase - tantas vezes que dá vontade de gritar: "Vocês por acaso são cegos?!?!?!". É, na verdade, bastante irritante, mas de uma maneira legal. Haha


Preciso confessar também, que nem só de partes fofinhas e engraçadas Yume é feito. E mais um ponto para a Kamile são as partes tristes que me deixaram à beira de lágrimas. Na verdade só não chorei porque eu segurei muito. Sério, é muito triste. :'(

A única coisa que me impede de dar nota máxima a Yume é o final. Gostei da maior parte do que aconteceu, mas o fim me deixou meio decepcionada. Esperava uma coisa épica, o que em parte se concretizou, mas senti falta do que eu mais esperava - que não pode ser citado, pelo simples motivo de spoilers. Essa parte poderia ter sido melhor explorada, mas mesmo não acontecendo do jeito que eu esperava há um finalização para todos os personagens, o que é bom, de qualquer forma.


Anyway, Yume é o primeiro livro da Kamile Girão e é uma excelente surpresa. Ganhei em um sorteio realizado pela própria autora - <3 - e, com o cursinho e a ressaca literária que me pegou de jeito no meio do ano passado, acabei deixando de lado. O que foi uma pena, porque Yume é realmente ótima e uma gracinha. Os personagens são cativantes e a leitura flui muito bem, já que os capítulos são curtos e você fica naquela história de "só mais um capítulo". Confesso, que por culpa desse livro, quase dormi nas aulas de espanhol, filosofia, física, geografia, matemática... Enfim, fui dormir lá pelas 2 da manhã porque perdia a noção do tempo.

Se você está a procura de um livro super fofinho, com partes emotivas e um tanto quanto sonhador - ah, trocadilhos! - se jogue na leitura de Yume. Bem, na verdade é meio difícil agora, já que o livro foi esgotado. Mas quem sabe não sai uma nova edição em breve? Cruzem os dedos. :)


Um comentário:

  1. comoassim eu nunca tinha nem ouvido falar desse livro? sim, tem razão, a capa É maravilhosa, e a sinopse é muito instigante. O mundo etéreo dos sonhos realmente é muito pouco trabalhado, e os poucos livros que eu li com esse tema até hoje não me deixaram nem um pouco satisfeita. Yume parece completamente diferente, e delicioso <3 *procura no skoob*
    Beijão!

    http://nossosromancesadolescentes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir