30 de dez de 2012

Retrospectiva 2012 - 5 melhores séries do ano

Hey!

Continuando com a Retrospectiva 2012, aqui estão as 5 séries que eu comecei a assistir esse ano e estou simplesmente amando. Não quer dizer que eu não ame mais as séries da Retrospectiva do ano passado - excluindo The Secret Circle que foi cancelada e do episódio 8 para frente começou a me dar nos nervos - mas, essas 5 são as minhas novas favoritas.

Bom chega de falar, aqui vão as 5 melhores séries do ano:


  • 5° lugar: 

Sinopse: The Walking Dead conta a história da consequência de um apocalipse zumbi; segue um pequeno grupo de sobreviventes, viajando por um desolado Estados Unidos à procura de uma nova casa longe das hordas de mortos vivos. O grupo é liderado por Rick Grimes, que era o xerife de polícia de uma pequena cidade da Geórgia, antes do surto de zumbis. Enquanto sua situação fica mais perigosa, o desespero do grupo para sobreviver leva-os a beira da insanidade.

Que fique bem claro que eu não assisti nenhum episódio da primeira temporada. Comecei a assistir já estava no 4° episódio da segunda temporada - claro que depois a Fox fez uma reprise de toda a temporada para começar a passar a terceira. De qualquer fora entrou para a minha lista de séries favoritas do ano, primeiro porque fala do apocalipse zumbi, um tema que eu adoro, além disso o elenco, a maquiagem e os efeitos especiais estão muito bons.
  • 4° lugar:


Sinopse: Após um violento acidente de navio, o playboy milionário Oliver Queen desapareceu e foi dado como morto por cinco anos, até ser descoberto vivo em uma remota ilha no Pacífico. Quando volta para casa em Starling City, sua dedicada mãe, Moira, sua amada irmã Thea, e seu melhor amigo Tommy o dão as boas vindas ao seu lar, porém sentem que Oliver voltou mudado. Ao passo que Oliver esconde a verdade sobre o homem que se tornou, ele tenta desesperadamente consertar os erros que cometeu como o menino que era. Mas particularmente, ele busca reconciliação com sua ex-namorada, Laurel Lance.
Enquanto Oliver recupera suas conexões com aqueles que são mais próximos, ele secretamente se torna o Arqueiro – um vigilante – para corrigir os erros de sua família, lutar contra os crimes da sociedade, e devolver a Starling City à sua antiga glória. Durante o dia, Oliver é o galanteador saudável, despreocupado e negligente que costumava ser – flanqueado por seu leal chauffer/segurança, John Diggle – enquanto cuidadosamente esconde a identidade secreta que assume para cobrir a escuridão. No entanto o Detetive Quentin Lance, pai de Laurel, está determinado a prender o vigilante que opera em sua cidade. Ainda, a própria mãe de Oliver, Moira, sabe muito mais sobre o naufrágio mortal do que revela – e é mais implacável do que ele jamais pode imaginar.

Comecei a assistir por pura curiosidade, sem esperar muito e foi uma das séries que mais surpreendeu esse ano. Stephen Amell é um deus grego lindo de morrer ótimo ator e contribui para tornar a série ainda melhor. Além de contar um excelente elenco coadjuvante e um excelente roteiro. Mal posso esperar pelos novos episódios. *-*
  • 3° lugar:


 Sinopse: Elementary trata-se de uma adaptação de Robert Doherty para a obra de Arthur Conan Doyle, que traz os personagens Sherlock Holmes e Dr. Watson para o tempo presente vivendo em Nova Iorque. Na série, Watson foi transformado em mulher, interpretada por Lucy Liu.
Sherlock é um ex-consultor da Scotland Yard que chega em Nova Iorque após passar um período em um centro de reabilitação. Forçado por seu abastado pai a dividir seu apartamento com a Dra. Joan Watson, uma cirurgiã que perdeu a licença há três anos quando um de seus pacientes morreu, ele precisa se manter sóbrio e longe das drogas. Assim, Watson passa a acompanhá-lo em seu trabalho como consultor da polícia de Nova Iorque. O contato de Sherlock no departamento é o Capitão Tobias Gregson, que conheceu em Londres.

Ok, dessa vez não foi a beleza do personagem principal que me fez morrer de amores por Elementary - claro, ela ajuda. Sherlock Holmes do século XXI é completa e totalmente pirado, e é isso que o faz ser tão carismático. Além disso, o clima de mistério que permeia todos os episódios dá um toque a mais, que nos fazer morrer esperando o próximo. E eu sou a única que espera a qualquer momento que o Sherlock comece a mancar e usar uma bengala no maior estilo House?
  • 2° lugar:


Sinopse: A narrativa da Beauty and the Beast é recontada pelas lentes de uma série policial, que acompanha o cotidiano da detetive Catherine Chandler, uma mulher que viu sua mãe ser assassinada e teve sua vida salva por uma fera misteriosa.  Investigando seu antigo benfeitor, ela descobre que ele é um médico que todos pensam ter morrido, mas na verdade, está vivo e precisa lidar com um grande segredo: ele vira uma fera incontrolável quando está com raiva. Ela promete guardar seu segredo, enquanto ele a ajudar na investigação do assassinato de sua mãe — e a química entre os dois os aproxima cada vez mais de maneira irresistível e perigosa.

Confesso, mais uma vez a bela do personagem principal me atraiu a assistir Beauty and the Beast, mas não me arrependi um minuto. A cada episódio o relacionamento de Cat e Vicent oscila entre estritamente profissional e o romance. Além disso o mistério que envolve a morte da mãe de Catherine deixa todos de cabelos em pé para saber o que acontecerá a seguir.
  • 1° lugar:


Sinopse: Nossa vida inteira depende da eletricidade, portanto, quando um grande apagão toma conta do mundo, a situação se modifica completamente. Aviões caem do céu, hospitais fecham suas portas e a tecnologia se torna algo do passado.
Agora, 15 anos depois, a vida retornou para aquilo que conhecemos antes da revolução industrial: famílias vivem em seus vilarejos e, quando o sol se põe, as lanternas e velas se acendem. Mas será que a vida ficou mais tranquila?
Nas pequenas comunidades, o perigo se aproxima, mudando de vez a vida de uma jovem garota. Uma milícia local chega e mata seu pai, alguém que misteriosamente – e sem que ela saiba – tem algo a ver com o blackout. O encontro brutal a leva para uma jornada para encontrar as respostas sobre o passado e por esperança pelo futuro.

O que me deixou morrendo de vontade de assistir Revolution foi a presença de dois atores do elenco da saga Crepúsculo - Billy Burke e JD Pardo - mas depois de assistir o primeiro episódio fiquei perdidamente apaixonada pela temática da série: um exemplo diferente de apocalipse, dessa vez a falta de eletricidade. E a cada episódio a série fica mais emocionante, não vejo a hora de saírem mais episódios. E por isso, Revolution tem lugar mais que merecido como a melhor série de 2012.


Um comentário:

  1. Ei amore
    também amo REVOLUTION..
    é uma pena ter que esperar até março para acabar o hiato... não vejo a hora de começar tudo de novo rsrs
    bjus..
    gostei muito do blog

    ResponderExcluir