21 de out de 2013

Resenha - Como salvar um vampiro apaixonado

Como salvar um vampiro apaixonado

Beth Fantaskey

Essa resenha pode conter spoilers do primeiro livro.
Editora: Arqueiro
Ano de Publicação: 2013
ISBN: 9788580411935
N° de páginas: 264
Comprar: Siciliano/Fnac
Nota: ♥♥♥♥♥ (2,5/5)
Sinopse: 
Quando Jessica Packwood descobriu que era uma princesa vampira romena, sua pacata vida adolescente virou de pernas para o ar. Ela precisou fazer as pazes com seu passado e vencer muitos obstáculos para ficar com seu belo príncipe, Lucius Vladescu. Depois de se casarem na Romênia, agora Jessica e Lucius devem unir os clãs mais poderosos dos vampiros e estabelecer a paz de uma vez por todas.
Mas primeiro ela vai ter que convencer uma nação inteira de vampiros ardilosos de que tem plenas condições de se tornar rainha. O problema é que Jessica nem mesmo consegue pedir uma refeição decente aos empregados de seu castelo, quanto mais lidar com súditos mortos-vivos malignos que adorariam vê-la fracassar.
Tudo se complica ainda mais quando Lucius é acusado de assassinar um vampiro Ancião e é condenado à masmorra, onde espera pelo julgamento que pode levá-lo à morte. Jessica então se vê em apuros, lutando não só pela vida de seu amado, mas também pela própria sobrevivência em um mundo repleto de intrigas.
Desesperada para provar a inocência do marido, ela conta com a ajuda de sua melhor amiga, Mindy Stankowicz, e do misterioso primo italiano de Lucius, Raniero Lovatu. Mas será que a princesa pode mesmo confiar neles?
Jessica Packwood não é mais Jessica Packwood, agora ela é Antanasia Dragomir Vladescu, líder da comunidade vampiresca ao lado de seu marido Lucius Vladescu. O problema? Ela não consegue nem fingir a autoridade que uma rainha deve transparecer nas aparições públicas, muito menos nos julgamentos.

Tudo corria às mil maravilhas, excluindo o fato de que Jess/Antanasia não conseguia nem encarar seus serviçais e lhes dar uma simples ordem sem tremer como uma folha ao vento. Até que certa manhã, Claudiu Vladescu, um dos vampiros Anciões é encontrado morto. Seu assassino deve ser julgado e condenado à destruição e para descobrirem o culpado, todos apresentam suas estacas. Ok, mas a estaca suja com o sangue de Claudiu é a de Lucius.

E agora, como Jess deve proceder? Pois se assim que chega a um julgamento, mesmo na companhia de Lucius não consegue se manter firme, como ela vai julgar o próprio marido? A partir desse momento a narrativa se desenrola, mas eu posso adiantar, que ela não flui tão bem assim.

Depois me surpreender - de forma positiva - com o primeiro livro, a única coisa que me vem na cabeça nesse momento é: o que aconteceu aqui? Não sei se é por esse livro ser mais focado no suspense do que na comédia/romance, diferente do primeiro, mas eu não consegui gostar tanto de Como salvar um vampiro apaixonado como gostei de Como se livrar de um vampiro apaixonado.

Desde o princípio eu já sabia tudo que ia acontecer. Sabia quem era o vilão da história. Até mesmo o desfecho eu consegui adivinhar. E por isso eu achava a narrativa arrastada e um tanto quanto monótona. Simplesmente não fluiu para mim.

A protagonista começa sendo frágil como uma boneca de porcelana e de uma hora para outra decide que será diferente. É um crescimento brusco, como se a autora precisasse fazer a personagem evoluir, e escolhesse um momento aleatório para mudar todas as suas atitudes.

Claro, ainda continuo gostando do Lucius e do amor incondicional dele por Jessica, e do dela por ele. É fofinho, e meloso na medida certa. O protagonista continua sendo sarcástico, ácido e muito engraçado. Além disso temos Mindy, a melhor amiga de Jess, que juntamente com Lucius, sustentou a narrativa a maior parte do tempo. Ela sim percebeu toda a trama por trás da condenação de Lucius, e para mim foi uma das melhores partes do livro.

"- Algum dia, Jessica - diz ele baixinho - você vai estar diante de mim neste mesmo quarto enquanto nos preparamos para alguma cerimônia que ambos odiamos, afinal já teremos estado em tantas outras durante os anos que passamos juntos, e você vai sorrir, levantar a mão e ajeitar minha gravata torta, como sempre faz. E um de nossos filhos, talvez nosso primeiro filho, vai puxar seu vestido exigindo nossa atenção. Então vou beijar você e me abaixar para pegá-lo, pensando: Como foi que me tornei tão feliz?"
Página 226.
O final foi previsível, mas eu gostei. Por mais que tenha achado a parte em que Jess está sem seu marido arrastada, quando as últimas páginas finalmente chegam, se mostram até bonitinhas, compensando um pouco a lentidão do resto do livro.

É inegável a previsibilidade da história de Como salvar um vampiro apaixonado, mas mesmo assim a leitura é válida se você quer saber o acontece depois que Jessica finalmente se rende ao charme de Lucius Vladescu. 

0 comentários:

Postar um comentário