27 de jun de 2011

Resenha - A Última Música

A Última Música
Nicholas Sparks,
Editora Novo Conceito

Sinopse: Aos dezessete anos, Verônica Miller, ou simplesmente Ronnie, vê sua vida virada de cabeça para baixo, quando seus pais se divorciaram e seu pai decide ir morar na praia de Wrightsville, na Carolina do Norte. Três anos depois, ela continua magoada e distante dos pais, particularmente do pai. Entretanto, sua mãe decide que seria melhor para os filhos passarem as férias de verão com ele na Carolina do Norte. O pai de Ronnie, ex-pianista, vive uma vida tranquila na cidade costeira, absorto na criação de uma obra de arte que será a peça central da igreja local - uma janela. Ressentida e revoltada, Ronnie rejeita toda e qualquer tentativa de aproximação dele e ameaça voltar para Nova York antes do verão acabar. É quando Ronnie conhece Will, o garoto mais popular da cidade, e conforme vai baixando a guarda começa a apaixonar-se profundamente por ele, abrindo-se para uma nova experiência que lhe proporcionará uma imensa felicidade – e dor – jamais sentida. Uma história inesquecível de amor, carinho e compreensão – o primeiro amor, o amadurecimento, a relação entre pais e filhos, o recomeço e o perdão – A ULTIMA MÚSICA demonstra, como só Nicholas Sparks consegue as várias maneiras que o amor é capaz de partir e curar seu coração.
 

Se eu precisasse definir Nicholas Sparks em apenas uma palavra eu diria Genial. Não só porque seus livros são obras primas da literatura, mas também porque sua forma de escrita fazem as emoções mais profundas aflorarem, traduzindo: me fez chorar como uma criança chorrona.
Eu fazia parte dos 10% da população Bookaholic que nunca leu Sparks, e me arrependo profundamente de ter adiado tanto minha leitura de seus livros.
Agora, você, que está lendo esse post: "Por quê, Nathi, diante de tantos livros tão bons do Sparks, você escolheu A Última Música?" Simples. Certa vez eu estava vendo um vídeo por aí, e a pessoa que estava falando diz porque prefere Querido John e não gosta tanto de A Última Música e essa pessoa avisa para pular a parte que ela solta um mega spoiler do livro, o final para ser mais exata. Fiquei brava, mais deixei passar, afinal eu não sairia brigando com a tal pessoa porque eu não passei o vídeo suficientemente para não ver os spoilers. Então, depois que fechei parceria com a Editora Novo Conceito, não pensei duas vezes e pedi para resenha esse livro.
Mas histórias a parte vamos ao que interessa: falar minha opinião sobre esse livro.
Ronnie não é uma típica garota americana. Em dois adjetivos: estranha e revoltada. Mora com a mãe e o irmão em Nova York e não fala com o pai a três anos. Sua mãe a obrigou a passar um verão com seu pai Wrightsville, uma cidade costeira bastante pacata.
Steve, o pai de Ronnie, é um ex-pianista, tem como único objetivo de vida, pelo menos por enquanto, reconstruir a janela da igreja, que foi destruída durante o incêndio. 
O que Ronnie não imaginava era que durante um verão que no início parecia interminável, pode ser agradável. Ela conhece então Will, um simpático garoto popular, bonito e voluntário do aquário municipal. Com o passar do tempo Ronnie e Will se aproximam e começam a namorar, mas durante a história surgem vários problemas que podem ou não atrapalhar o romance dos dois.
Foi nesse livro que percebi como Nicholas é genial e agora o considero uma espécie de rei dos romances. Sparks consegue nos transmitir o amor de várias formas: amor de pais, amor de irmãos, amor de namorados, amor de casais, enfim o amor em sua forma mais pura.
Esse livro não mereceria menos que nota:





Aviso: Quarta feira, na seção de críticas de filmes, farei uma breve comparação entre o filme e o livro.

Um comentário:

  1. Eu gosto muito do Nicholas Sparks. Ele é realmente genial!
    Antes eu não lia seus livros por falta de tempo, ou até mesmo por ter alguns títulos que queria ler mais. Mas depois que li, nossa, é muito bom!

    =D

    ResponderExcluir